Escrever não é uma escolha, “é intima ordem de comando”. (sobre escrita e desaparecimentos)

"Há episódios nessa vida ditados por uma discreta lei que nos escapa"Dr. Pasavento, de Enrique Vila-Matas Três autores me rondaram a última manhã de setembro em que choveu aqui no sertão. Quando eu digo que escrevo do sertão, não é por saber geograficamente, exatamente, a que parte cabe esse lado, é mais por ter de … Continue lendo Escrever não é uma escolha, “é intima ordem de comando”. (sobre escrita e desaparecimentos)

Yellow jazz song, um solo do Coltrane para você

O sax do Coltrane toca um solo praqueles que avistam longe o amarelo na vida. Me disseram que você pode descer as escadas do centro de São Luís de muitos jeitos: pelo meio, se equilibrando entre tanta beleza; olhando pra cima pra enxergar melhor a moldura que é a beirada dos telhados encostando no céu; … Continue lendo Yellow jazz song, um solo do Coltrane para você

Abril despedaçado: álbum poético para obsessivos compulsivos

Eu comecei a apertar os dentes na metade de Abril. Assim, bem forte, como se houvesse um pedaço de rapadura entre eles. Só que não tinha nada. Nem era doce, mas era duro e foi piorando. Então eu fritava um bife, me virei para escolher uma música e esqueci de voltar. O bife ficou esturricado, … Continue lendo Abril despedaçado: álbum poético para obsessivos compulsivos