Sem categoria

O sertão vai virar Mar, Maranhão.

Tem lugar que experimenta as quatro estações e eu imagino quanta poesia isso possa render. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Aqui no Maranhão primavera e outono são conceitos. Mas hoje eu tenho certeza que agosto aportou por essas bandas e trouxe consigo o verão. A gente meio que teme o verão- especialmente se você mora perto da linha do… Continuar lendo O sertão vai virar Mar, Maranhão.

Sem categoria

Um choro e um chão: Zé e Pixinguinha cantam a ‘carinhosa’ de 2001/2002

É difícil acreditar que Carinhoso (Pixinguinha&Braguinha) não fez sucesso de imediato; e que assim que a melodia foi composta, Pixinguinha a deixou numa gaveta por pelo menos dez anos. Parece que ela só começou a ser o sucesso que é até hoje depois que Braguinha - a pedido da atriz e cantora Heloísa Helena-, às… Continuar lendo Um choro e um chão: Zé e Pixinguinha cantam a ‘carinhosa’ de 2001/2002

Sem categoria

Sobre café e biscoitos de canela . Cartola canta a minha travessia: ponte para a vida.

Eu ouvia Cartola enquanto atravessava pela milionésima vez a ponte do São Francisco. Ela liga duas partes da cidade, uma bem antiga e outra em que tudo são prédios, vidros e vez em vento um neon. Eu queria que vocês vissem como essa ponte é linda. Então eu ouvia Cartola e ele dizia: "Deixe-me ir… Continuar lendo Sobre café e biscoitos de canela . Cartola canta a minha travessia: ponte para a vida.

Sem categoria

Poesia que é uma cama ou um abraço. Quem sabe uma grata insônia

Adília Lopes não sofria de insônia, decerto. É que eu também já gostei muito de me deitar sem sono e os lugares por onde vão meus pensamentos renderiam milhões de diários. Adília gosta dos próprios abraços e aí vamos pisar aqui naquele lugar comum: é preciso se amar. Ter a si mesma com um carinho.… Continuar lendo Poesia que é uma cama ou um abraço. Quem sabe uma grata insônia

Sem categoria

“Fomos felizes por alguns anos, girassois e noites estreladas…”

#bodasimpressionistas Vicent nunca foi muito sociável, mas me escrevia cartas a valer.😍 (Não mais do que escrevia a Théo, seu irmão). Foram 8 meses entre o dia que ele foi comprar tintas na mesma lojinha em que eu costumava repor o estoque do meu ex-patrão - Sir. Johannes Vermeer-, e o nosso enlace. Casamos em… Continuar lendo “Fomos felizes por alguns anos, girassois e noites estreladas…”