Partos e partes

Curto e intenso, não o café, o mês Foi numa terça-feira, na madrugada, que é quando leio meus poemas... de barriga pra cima, estufada- talvez eu carregasse comigo as canetas do mundo e caderninhos, como um canguru que nasce já orientado para a escrita e viesse de fábrica com a sina grudada ao corpo. O … Continue lendo Partos e partes

Fonte do Ribeirão

Foi a Elizabeth Gilbert quem disse que "em todas as grandes cidades do mundo ocidental, algumas coisas são sempre iguais" (Comer, Rezar, Amar);Mas há aqueles lugares que guardam belezas específicas como chafarizes. Eles deixam que a gente olhe pra dentro; Ver uma cidade, afinal, pede olhos que saibam cumprir a missão: parar quando diante duma … Continue lendo Fonte do Ribeirão

Amor, palavra útil

Um céu de Van Gogh

WhatsApp Image 2018-03-25 at 23.29.07 Paz, palavra útil, poesia de Matilde Campilho em Jóquei

eu escrevi um poema triste pra Álvares de Azevedo

e depois enviei prum outro poeta que não estava nos livros didáticos, mas que dirigia uma associação de poetas que entendiam do amor e do amor pelo amor. Eu acho que não me expliquei, mas me pareceu que ele entenderia que não era o poeta, ou ele ter 21 anos e até ter morrido depois da queda de um cavalo, mas sim a poesia, o amor pelo amor, o tratamento dado ao amor. Eu era dada a gostar de amar o amor.

Estava lendo Matilde Campilho e lembrei de vc, Álvares

Não de vc, mas de mim quando eu gostava de como vc amava o amor
e de todas as coisas que eu fazia sozinha – pra comprovar que quando digo que tenho “um país só meu”, não é pra que essa…

Ver o post original 416 mais palavras