Abril despedaçado: álbum poético para obsessivos compulsivos

Eu comecei a apertar os dentes na metade de Abril. Assim, bem forte, como se houvesse um pedaço de rapadura entre eles. Só que não tinha nada. Nem era doce, mas era duro e foi piorando. Então eu fritava um bife, me virei para escolher uma música e esqueci de voltar. O bife ficou esturricado, … Continuar lendo Abril despedaçado: álbum poético para obsessivos compulsivos

Anúncios

Um trio com Duke Ellington

Todas as coincidências do planeta convergem nesse momento. Chove tudo que não choveu em 2016 nesse dois mil e dezenove - e a chuva é minha permissão para a melancolia-; além disso, eu vou menstruar e o Dr Jekyll and Mr Hyde, a bela e a fera, ou todas as personas numa só...meus heterônimos, em … Continuar lendo Um trio com Duke Ellington

Um Renoir para ver as meninas…

Um Renoir que eu só tinha visto num folheto enfiado por debaixo da minha porta (num anúncio de novos prédios na ponta d'areia)... Anos depois um Renoir enfeitava as páginas dum livro de literatura ao lado da poesia de Quintana... De repente, mais que de repente, aquele velho Renoir perto do meu nariz...dava pra sentir … Continuar lendo Um Renoir para ver as meninas…