Te vejo no meio do mapa

Um quarto Jane Austen
Para ler as irmãs Bronte
E reproduzir as cores de Van Gogh
Ao passo que Tom e Monk dividem o piano
(Sentados na beirada da cama)
Porque sobre o banquinho eu descanso meus tornozelos fibromialgicos.
Todo artista tem algum reumatismo
Se não é nas juntas
É no peito
Doi muito por poesia pra fora

Anúncios

2 comentários em “Te vejo no meio do mapa

  1. Ontem eu lia-ouvia um poema de Helder e ele me dizia, com sua narrativa mansa de lugares seus, que amanhecia em seu poema e que não era nada fácil lidar com o sol em sua janela de olhar. E agora tu me falas do cantos de sua poesia. Vou ali pensar meu passo. Bacio

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s